31 de janeiro de 2009

Verdades

A importância de saber chegar a casa...

"Mário Cordeiro, pediatra, disse na semana passada numa conferência organizada pelo Departamento de Assuntos Sociais e Culturais da Câmara Municipal de Oeiras, que muitas birras e até problemas mais graves poderiam ser evitados se os pais conseguissem largar tudo quando chegam a casa para se dedicarem inteiramente aos seus filhos durante dez minutos.

Ao fim do dia os filhos têm tantas saudades dos pais e têm uma expectativa tão grande em relação ao momento da sua chegada a casa que bastava chegar, largar a pasta e o telemóvel e ficar exclusivamente disponível para eles, para os saciar. Passados dez minutos eles próprios deixam os pais naturalmente e voltam para as suas brincadeiras. Estes dez minutos de atenção exclusiva servem para os tranquilizar, para eles sentirem que os pais também morrem de saudades deles e que são uma prioridade absoluta na sua vida. Claro que os dez minutos podem ser estendidos ou até encurtados conforme as circunstâncias do momento ou de cada dia. A ideia é que haja um tempo suficiente e de grande qualidade para estar com os filhos e dedicar-lhes toda a atenção.

Por incrível que pareça, esta atitude de largar tudo e desligar o telemóvel tem efeitos imediatos e facilmente verificáveis no dia-a-dia.

Todos os pais sabem por experiência própria que o cansaço do fim de dia, os nervos e stress acumulados e ainda a falta de atenção ou disponibilidade para estar com os filhos, dão origem a uma espiral negativa de sentimentos, impaciências e birras.

Por outras palavras, uma criança que espera pelos pais o dia inteiro e, quando os vê chegar, não os sente disponíveis para ela, acaba fatalmente por chamar a sua atenção da pior forma. Por tudo isto e pelo que fica dito no início sobre a importância fundamental que os pais-homem têm no desenvolvimento dos seus filhos, é bom não perder de vista os timings e perceber que está nas nossas mãos fazer o tempo correr a nosso favor."

(texto chegado por email)

30 de janeiro de 2009

Globalização - Portugal em 15º

O estudo é do KOF - Swiss Economic Institute. Analisa 158 países e defende que, entre todos eles, Portugal ocupa a 15ª posição no índice de globalização para 2009.

O índice anualmente preparado pelo organismo suíço nasce da análise de um conjunto de 24 variáveis ligadas a três dimensões principais: económica, social e política. A nível económico Portugal surge na 16ª posição, subindo para a 12ª posição se os dados forem apenas analisados no contexto da União Europeia. Na dimensão social desce para a 33ª posição e na dimensão política volta a subir para a 18ª posição. No contexto da UE estas duas dimensões colocam Portugal em 18º e 11º lugar, respectivamente.

As primeiras posições deste índice são ocupadas pela Bélgica, Irlanda e Suíça. Há mais algumas presenças europeias na tabela dos 15 primeiros lugares, mas países como França, Itália, Alemanha ou Reino Unido não estão lá, o que faz Portugal surgir à frente destes parceiros europeus.

A dimensão económica do índice KOF mede fluxos de bens, capital e serviços ao longo do tempo, assim como as informações e as percepções que acompanham as alterações no mercado e os níveis de investimento estrangeiro. A nível social é medido o fluxo de ideias, informação, imagens e pessoas, enquanto a nível político é analisada a difusão das políticas governamentais.
Fonte: TEK

Mapa animado evolução índice de globalização

Download mapa índice de globalização

Mais informações (estatísticas, bases de dados)


29 de janeiro de 2009

Vídeo na sala de aula - sugestões

Enquanto por cá a utilização das TIC resume-se em grande parte aos computadores portáteis, noutros países europeus, bastante mais avançados nesta área, a introdução dos telemóveis e dos dispositivos de captura de vídeo na sala de aula já são incentivados. Por cá, refira-se, ainda vivemos na era da proibição do telemóvel na sala de aula, sobretudo depois dos casos recentes de violência contra professores.

Vem esta introdução a propósito da apresentação de Tom Barrett sobre a utilização do dispositivos de vídeo de bolso, como o Flip, na sala de aula. Aqui fica um conjunto de sugestões para a sua utilização, com alunos de qualquer idade.



No blogue de Tom Barrett (ICT in my classroom) podemos encontrar muitas outras sugestões bastante úteis e muito interessantes sobre a utilização das TIC na sala de aula. Não só para a Geografia mas mesmo para outras disciplinas, já que a utilização das TIC é transversal.

28 de janeiro de 2009

Aparente contradição

Quem disse que o fogo e o gelo são incompatíveis? Recebi hoje este postal da Anna Barford, que esteve recentemente na Antáctida, no vulcão Erebus. Em segundo plano, uma fumarola bem activa, coberta de gelo. Impensável, não? Aliás, essa é a estranheza que os alunos mostraram quando, nas aulas e no Forum de Perguntas e Respostas criado na plataforma Moodle da Escola, comentavam a impossibilidade de haver um vulcão coberto de neve e gelo pois o calor que emana deveria ser suficiente para derreter o gelo que o envolve. Pois, mas não é.

A mais bonita caldeira de São Miguel

Lagoa do Fogo (São Miguel-Açores)
Puzzle feito com PhotoFiltre.
A tranquilidade que se avista e respira deste local é convidativa a meter os pés ao caminho para aquilo que decerto será uma experiência inesquecível. A experimentar no próximo Verão, quem sabe...

Actualização do Google Earth

Anuncia-se para muito breve (2 de Fevereiro) uma nova actualização do Google Earth: depois do ambiente terrestre e do espaço, seguem-se os oceanos. segundo anuncia o ZDnet, na secção Googling Google, desvendando que a novidade deverá ser apresentada na "California Academy of Sciences", em San Francisco (EUA), o lugar ideal por congregar um oceanário, um planetário e m museu de história natural.

A revista PCPro online adianta ainda que o novo Google Earth (ou será Google Ocean?)

"is expected to provide underwater topography, with a layer showing the depth of the sea floor. It will allow users to search for particular points of interest, such as famous shipwrecks. Google Ocean is also expected to include underwater photography, although experts have stated that it would take hundreds of years of ship time to photograph the entire ocean bed at high resolution.

Espera-se que, a par desta novidade, sejam acrescentadas outras ferramentas para uma utilização mais aprofundada deste software na sala de aula de Geografia e não só. Aguardemos. Para novidades em primeira mão, nada como consultar o Google LatLong Blog.


27 de janeiro de 2009

O peso do mundo

Homem-estátua nas Ramblas de Barcelona
(Agosto 2008)

Cartografia portuguesa para o Google Earth


Está em fase de construção um novo sítio na Internet, dedicado à cartografia para Google Earth. O "inovmap" irá disponibilizar cartografia das diferentes unidades administrativas portuguesas (concelhos, distritos, NUT), sendo também possível aos utilizadores fazerem o upload dos seus ficheiros KML. Será, creio, uma espécie de rede social de mapas para Google Earth. Uma ideia que se saúda, tanto mais que é previsível que o Google Earth venha a ser cada vez mais utilizado, não apenas pela comunidade de geógrafos mas pela sociedade em geral.

26 de janeiro de 2009

Kit Trabalho Evolução da População

Material para o trabalho de pares a desenvolver nas próximas 2 aulas do 8º ano. Clicar nos ficheiros ou nas pastas necessárias para o trabalho.



Não esquecer de guardar o trabalho no final da aula, numa PenUSB, e trazer na próxima aula.

25 de janeiro de 2009

Reflexões sobre a escola

Numa altura em que a divisão da carreira docente volta a estar em cima da mesa e com o processo de avaliação ao rubro, aqui fica a questão em jeito de reflexão do Doug Belshaw....

What if….?

Posted: 15 Jan 2009 01:57 PM CST

High School Teacher Appreciation Cupcakes
Image by clevercupcakes via Flickr

What if instead of everyone being allocated to one main job within a school, there was some kind of rotation system? What do you suppose would happen if teachers had experience in working in the school office? Would teachers have their eyes opened if they were given the opportunity to be learning support assistants for a period of time?

What if, more radically, everyone earned the same amount of money within a school and status was denoted by the amount of time spent with students? What if time with students actually meant that you 'earned' more rather than less? What if the traditional top-down hierarchy was bottom-up, with administrative positions explicitly supporting, rather than dictating, teaching? What would happen then?

I wonder…

24 de janeiro de 2009

Dizem que é um excelente filme



Slumdog Millionaire, já ganhou o Gobos de Ouro no Reino Unido e dizem ser um sério candidato ao Óscar de Melhor Filme. Slumdog Milionaire conta a história de um jovem pobre e com pouca instrução, Jamal Malik, que vive nos bairros de lata de Mumbai e que pretende reconquistar um amor de infância. Para conseguir o seu intento, decide participar no concurso televisivo "Quem quer ser milionário" e irá surpreender ao acertar em todas as questões, sendo questionada a sua honestidade. Um filme que não deixará de ser também um recurso educativo interessante, como já me asseguraram. Aguardemos pois a sua estreia em Portugal.

Entretanto, no jornal The Guardian, alguns testemunhos de jovens indianos que vivem no baiiro de lata de Dharavi, em Mumbai (Índia), onde o filme foi rodado, que poderão servir de complemento à exploração do filme.

23 de janeiro de 2009

"Walk N Joy"

Um trabalho feito por uma ex-aluna (Sónia Rodrigues) da ESCO - Escola de Serviços e Comércio do Oeste, do Curso de Técnico de Turismo, e que consistiu na invenção de um produto turístico - o Walk'nJoy, para a disciplina de TIAT.

Um herói português

"Escalar montanhas é a empresa da minha vida"
João Garcia

A página de João Garcia não deixa de ser um sítio interessante para visitar ou mesmo para utilizar numa actividade sobre o relevo e as altas montanhas. Temos afinal um herói português que muito tem de comum com a Geografia, pelo menos em algumas histórias que tem para contar.


22 de janeiro de 2009

Criar Puzzles no Powerpoint


Para quem não domina o HotPotatoes, esta é uma forma expedita de fazer um exercício do tipo "Drag and Drop" para montar um puzzle utilizando o MS Powerpoint. E quem diz um puzzle, como é o exemplo para download, diz um exercício de associação de imagem/texto, ou texto/texto. Para colocar numa Plataforma Moodle, ou utilizar na sala de aula para uma pedagogia diferenciada, por exemplo.

Clicar aqui para fazer o download.
Não esquecer de "Activar Macro" na mensagem ao abrir o ficheiro.

21 de janeiro de 2009

Ainda se ensina o modelo de Von Thunen?

Von Thunen é o autor da teoria que aprendemos nos bancos da faculdade e que tinha como como pressupostos a uniformidade das condições naturais, uma única cidade ou mercado, tecnologia semelhante, os mesmos custos de produção, um só tipo de transporte e concorrência perfeita.

Von Thunen concluiu que a renda depende da distância ao mercado, ou seja, as terras mais próximas do centro consumidor têm maior renda em relação às mais distantes. A renda de localização, portanto, tem uma relação inversa à distância. Para Von Thunen, como os custos de transporte aumentavam com a distância, o afastamento do mercado determinava a selecção de culturas. Concluiu que os produtos se distribuíam de maneira regular, em anéis concêntricos em torno do mercado – Anéis de Von Thunen.

Os produtos perecíveis ou difíceis de serem transportados localizavam-se próximos do centro consumidor e nos demais anéis estariam a extracção de madeira, as culturas de cereais e a pecuária. As áreas mais distantes do mercado não teriam muitas culturas, pois, os custos de transporte seriam maiores.

Fui descobrir um software muito simples para demonstrar o modelo de Von Thunen, no Centro de Análise Espacial Avançada da Universal College de Londres. Fazer o download aqui. O ficheiro "zip" contém mapas que se podem colocar em fundo para decalcar as cidades e as vias de transporte, antes de aplicar o modelo.

E ainda fui descobrir outras "peças" de software úteis para futuras oficinas de formação sobre Mapas Digitais e Google Earth.

O sol da meia-noite na Antárctida

Foto: Anna Barford

Dois vídeos muito interessantes

Do Alan Parkinson, ficam duas sugestões para dois vídeos produzidos no VIMEO , um dos quais utiliza a técnica Tilt-Shift Maker, como já aqui exemplifiquei anteriormente. O Tilt-Shift Maker transforma uma foto numa paisagem com aspecto de miniatura e o vídeo seguinte é feito com a mesma tecnologia mas com animação, para além de introduzir pequenos ícones que acompanham os automóveis e as pessoas. As imagens do vídeo são da cidade de Moscovo.


MapType from MapType on Vimeo.

Outra sugestão do Alan é um vídeo com uma banda sonora bastante apelativa, e que nos transporta para a agitação das ruas de Londres, vista na perspectiva dos transportes.


E a partir deste último vídeo, menção para o Digital Urban, um blogue sobre técnicas de visualização digital das paisagens urbanas. Para aprofundar esta temática, consultar o Centre for Advanced Spatial Analysis, University College London.

Em baixo, o Mapa 3D do metropolitano de Londres.


20 de janeiro de 2009

Vantagens comparativas dos modos de transporte

View more presentations or upload your own. (tags: transportes)

Cada slide teve 00:02:30 de duração para que os alunos escolhessem o modo de transporte mais adequado e justificassem a sua escolha. Constato que a justificação parece ser "bastante penosa" para os alunos porque não chega dizer qual o modo de transporte mas têm que argumentar. E é nesse aspecto que tenho vindo a insistir neste 2º período, depois de no teste do 1º período as respostas a questões para "justificar" ou "explicar" foram dadas de forma bastante minimalista, para utilizar uma linguagem do design. Enfim...

A escrita (e tudo quanto envolva algum esforço) é penosa para estas novas gerações, porém julgamos que a utilização das TIC de forma expedita e frequente é um denominador comum aos jovens. Engano redondo: para muitos dos meus alunos, navegar e procurar informação numa página web parece ser algo transcendental. Hi5 e Facebook entre outros parece-me ser quase o único contacto que têm com as TIC fora da sala de aula da disciplina de TIC ou Geografia. Ah, esquecia-me do MSN e dos SMS. Fora isto.... E julgava eu que....

19 de janeiro de 2009

Inverno Demográfico

“Inverno demográfico: o declínio da família humana”

O documentário “Inverno demográfico: o declínio da família humana” expõe as consequências económicas e sociais da fragilização da família e da queda da taxa de natalidade em todo o mundo. No “Inverno demográfico”, académicos de várias áreas apresentam o contexto económico, social, demográfico e histórico do declínio da população e o impacto que as famílias têm na resiliência e na estabilidade da sociedade. O estilo animado da película destaca a investigação de economistas (incluindo um prémio Nobel), demógrafos, sociólogos, e autores. (Fonte: InvernoDmográfico.org)




Uma perspectiva sobre as questões demográficas mundiais. Um recurso didáctico legendado em português, quer o vídeo disponível em DVD, quer o site oficial. Também em inglês, claro.

Trata-se de um excelente recurso para visualização (o vídeo) e consulta (o site) pelos alunos a propósito do estudo da População Mundial, mais concretamente das políticas demográficas, pois tem uma secção de Perguntas & Respostas totalmente escrita em língua portuguesa.

Frases (ir)responsáveis


"admito que perdi os professores, mas ganhei a opinião pública"

(Maria de Lurdes Rodrigues, Ministra da Educação, Junho/2006)


"vocês [deputados do PS] estão a dar ouvidos a esses professorzecos"

(Valter Lemos, SEEducação, Assembleia da República, 24/01/2008)


"caso haja grande número de professores a abandonar o ensino, sempre se poderiam recrutar novos no Brasil"

(Jorge Pedreira, SEEducação, Novembro/2008)


"quando se dá uma bolacha a um rato, ele a seguir quer um copo de leite!"

(Jorge Pedreira, SEEducação, Auditório da Estalagem do Sado, 16/11/2008)


"[os professores são] arruaceiros, covardes, são como o esparguete (depois de esticados, partem), só são valentes quando estão em grupo!"

(Margarida Moreira - DREN, Viana do Castelo, 28/11/2008)


Não é objectivo do Geofactualidades debater o actual estado (de sítio) da Educação mas estas frases ficam para a História negra da Educação. Porque quem não se sente....e eu sou.

17 de janeiro de 2009

Google Earth

Em resposta às solicitações no final da Oficina de Formação sobre Mapas Digitais de ontem, aqui ficam os links para o download de alguns (de muuuuuitos) ficheiros KMZ para utilizar com o Google Earth. Trata-se de facto de um software com potencialidades enormes, que vão para além da mera visualização do terreno ou, quem não o fez pela primeira vez que utilizou, observar a casa de habitação e logo de seguida a Escola.

Os ficheiros KMZ (keyhole markup zip) são muito semelhantes aos ficheiros ZIP pois permitem criar um pacote com vários ficheiros juntos e comprimir o seu conteúdo para acelerar o download.

Para utilizar os ficheiros KMZ basta clicar nos links em baixo e guardar no computador. Clicando no ficheiro KMZ o Google Earth abre com a visualização do conteúdo do ficheiro.

Marvão 3D

Voos nos EUA

Climas - Koppen

Subida do nível do mar


Brevemente postarei aqui mais ficheiros KMZ, com os limites da NUT3 e Concelhos de Portugal e distritos.

Aconselha-se também a utilização do GE Graph, uma aplicação algo simples de utilizar (ao contrário dos ficheiros com extensão TXT com os polígonos das unidades administrativas).

Uma grande coleção de modelos 3D para utilizar no Google Earth, para além de outras vistas.
É só pesquisar.

Haiti



Arcade Fire - Haiti

Imagens de um país nem sempre conhecido pelas melhores razões. A felicidade estampada nos rostos dos haitianos é comum do início ao fim.

16 de janeiro de 2009

APOGEO

Acabada de sair do prelo e em breve a ser enviada aos sócios da Associação de Professores de Geografia, o segundo número de 2008 da revista APOGEO está finalmente aí. O conteúdo, desta vez saiu muito internacional, pois contém dois artigos de autoras brasileiras e dois artigos de autores ingleses. Nem sempre é fácil encontrar autores portugueses quem se disponham a escrever apesar das tentativas. Apesar da situação estar bastante mais facilitada, graças à ajuda de vários(as) colegas da Direcção que estão sempre atentos à procura de quem possa e queira colaborar com a revista e com a Associação.

A capa deste número, como não podia deixar de ser depois do Encontro Nacional em São Miguel no passado mês de Setembro, mostra um belíssimo recanto da magnífica Lagoa do Fogo, em dia de bruma.

Infografia - Faixa de Gaza

Fonte: Público.

Desigualdades

Apesar de muito recente, o Geofactualidades já regista uma boa lista de visitantes. Olhando para o mapa de localização dos visitantes do blogue, afirma-se desde logo a tal disparidade gritante entre um mundo dito desenvolvido e o mundo menos desenvolvido. O grande número de visitantes da América do Sul são essencialmente vindos do Brasil, compreensível por o blogue estar escrito em língua portuguesa e qualquer pesquisa nesta nossa língua poderá encaminhar alguns dos nossos irmãos brasileiros para cá. Da Ásia, apenas temos representantes do Sudeste Asiático e uns tantos da China. Repare-se pois no continente africano, que ainda não "enviou" nenhum embaixador ao Geofactualidades. Um sinal de um mundo mesmo desigual, não?

15 de janeiro de 2009

Darfur em imagens

A situação no Darfur, vista pela Amnistia Internacional, em imagens de satélite, mas não só, das aldeias afectadas pela violência, num rastro de morte e destruição. Apesar de em pequeno número, a galeria de fotos é interessante.

Uma imagem singular

Fonte: Público

Imagem muito recente, com algumas horas, ou nem isso, captada no rio Hudson (Manhatan, NY), que mostra o avião da USAirways que se despenhou em pleno rio. Sem vítimas, felizmente. Os passageiros e tripulação aguardam (calmamente) sobre as asas do avião à espera de resgate.

Eu bem digo aos meus alunos que o avião é um transporte muito seguro...


2º Fórum de e-Estatística ALEA









Uma população bem informada é uma população mais qualificada. O excesso de informação leva a que esta tenha de ser devidamente sintetizada e, ao mesmo tempo, analisada. A Estatística tem um papel muito importante na análise e na síntese da informação.

Estão abertas as inscrições gratuitas para o «2.º Fórum e-Estatística - Numeracia e Cidadania», que terá lugar no próximo dia 30 de Janeiro, na Escola BI/JI Vasco da Gama (Parque das Nações - Lisboa), às 14h. O Tema do Fórum é «O que fazer com tantos dados? - O papel do ALEA».
Este fórum visa agregar docentes, investigadores, alunos, técnicos, etc., de todas as áreas do conhecimento, sendo autores e/ou utilizadores do ALEA, ou que de algum modo contactem com a Estatística:
  • A importância da informação estatística no desenvolvimento da sociedade;
  • O papel do ensino e aprendizagem da Estatística na formação para a cidadania;
  • o papel do conceito ALEA no reforço da literacia dos portugueses.

Tópicos a abordar

  • Literacia Estatística;
  • Estatística, Estatísticas e Tecnologias de Informação e Comunicação;
  • Informação para a cidadania;
  • Ensino e Aprendizagem da Estatística e Probabilidades;
  • Experiências e Projectos Interdisciplinares com o ALEA.
Mais informações aqui.


Esperança de vida e reformas

De acordo com uma fonte do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social, o Governo definiu que o factor de sustentabilidade a aplicar às pensões que se iniciem este ano é de 0,9868%, depois de analisados os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre a esperança média de vida aos 65 anos.

A mesma fonte, adianta a agência Lusa, referiu que, «uma vez que os valores calculados pelo INE para a esperança média de vida aos 65 anos em 2006 e 2008 foram de 18,3 e 18,89 anos, respectivamente, o factor de sustentabilidade aplicável ao cálculo das pensões de origem contributiva iniciadas em 2009 dá origem a uma correcção de 1,32% no valor da pensão».

Em causa está a «relação entre a esperança média de vida aos 65 anos em 2006 com aquela calculada no ano imediatamente anterior ao do início da pensão».

Mediante este método, os beneficiários da Segurança Social podem optar pelo prolongamento da sua vida activa, beneficiando de uma taxa de bonificação.

Fonte: Fábrica de Conteúdos.

14 de janeiro de 2009

Direitos Humanos

Wordle feito a partir da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Na aula de hoje com a minha turma de CEF pedi aos alunos que:

1º seleccionassem 10 direitos humanos a partir da D.U.D.H.;
2º reescrevessem os 10 direitos humanos escolhidos, atribuindo-lhes um significado;
3º ilustrassem cada um dos direitos, no seu cumprimento ou no seu incumprimento;
4º criassem um "wordle" com o texto dos dez artigos que os alunos escolheram;
5º criassem uma apresentação com todo o trabalho realizado na aula.

O trabalho beneficiou de uma excepcional aula de 90 minutos. Ainda não terminou e continuará na próxima 4ª feira.

Assim não vale




Deve haver escolas em que o desconforto devido ao frio deve ser um pouquinho bem pior do que esta, mas para o efeito serve: não deveria haver "necessidades básicas" por cumprir na era do Magalhães-de-Banda-Larga. Pois. É verdade que os Magalhães e a Banda larga estão longe de terem chegado a todas as escolas, mas como esperar que os alunos estejam disponíveis para aprender em espaços gelados?

Recordo-me bem de um dia de Janeiro dos idos de 1994, ao meio-dia, quando, na então Escola C+S de Freiria (Torres Vedras), eu dava aulas a uma turma do 7º ano numa sala pré-fabricada:
- à entrada da sala havia um buraco de 50 cm de profundidade e 50 cm de largura e em baixo passeavam ratos;
- os vidros de uma janela estavam partidos e as persianas não vedavam completamente o ar gélido que vinha da rua;
- um miúdo foi ao telhado (plano) da sala buscar uma bola e veio de lá com uma placa de gelo de cerca de 1 metro de comprimento.

Foi há já uns bons anos atrás mas, pergunto: e não haverá escolas em ainda piores condições hoje em dia? Tem a palavra Medina Carreira.

13 de janeiro de 2009

Mapa das religiões

Maps of War

Uma animação em flash, interactiva, que nos mostra os locais de nascimento e a expansão espácio-temporal das grandes religiões no Mundo, é um dos recursos que encontramos em Maps of War.



Em Maps of War podemos ainda encontrar outras animações, como a Marcha da Democracia, um mapa com empre que tem dominado a democracia e onde o tem recuado? Este mapa nos dá uma visão histórica da mais popular forma de governo. Desde as primeiras repúblicas até ao advento dos países auto-governados, são 4.000 anos de História em 90 segundos ...!

Outra animação interessante, dado o actual estado da situação no Médio Oriente, é a que revela o controlo daquela região ao longo dos tempos, sempre com a perspectiva espacial geográfica a par da componente temporal.


Como mera curiosidade, uma vez que de geográfico apenas tem a perspectiva aérea, o Palácio de Sadam Hussein, antes e depois da invasão americana. Clicar em "change view".



Possibilidade de fazer download de ficheiros "flash" para colocar em apresentações multimédia, em blogues ou em páginas web.

Um recurso para a interdisciplinaridade - Geografia e História.

Imigração e Natalidade: um casamento perfeito

De acordo com um estudo publicado pelo instituto alemão Max Planck, citado pela Lusa, Portugal, Espanha, França, Itália, Áustria, Alemanha, Holanda e Reino Unido, viram as suas taxas de natalidade aumentarem de 3% para 8% no referido período devido à comunidade imigrante.

No Norte e Ocidente da Europa regista-se um maior número de nascimentos, relativamente aos ocorridos mais a Sul e Leste do continente europeu.

Desta forma, segundo o estudo, nos países de língua alemã, bem como em alguns Estados do Centro, Este e Sul da Europa, a taxa de natalidade é bastante inferior – varia entre 1,3 e 1,5 nascimentos, por mulher.

Na França, Reino Unido, Irlanda e os países nórdicos, a natalidade aproxima-se do chamado nível de substituição – 2,1 nascimentos por mulheres – ou seja, oscila entre 1,8 e 2 filhos por mulher.

Para os sociólogos, a diminuição do número de nascimentos que se vem reflectindo um pouco por toda a Europa deve-se ao facto de cada vez mais as pessoas adiarem o projecto de constituir família.

A situação deve-se, em muito, aos estudos prolongados, mas também à insegurança laboral que cada vez se torna mais característica das sociedades actuais.

Fonte: Fábrica de Conteúdos.



12 de janeiro de 2009

Magalhães e outras coisas ou Portugal no seu pior



Cáustico como sempre. Não sei bem porquê mas gosto de ouvir este homem, apesar do discurso ser sempre o mesmo. Mas gosto pois é o único que consegue dizer, publicamente, mal, mesmo mesmo mal do estado do país e dos políticos. Convém não esquecer que também já teve funções governativas, mas isso agora não interessa. Mas vale a pena ouvir a última observação que faz.

9 de janeiro de 2009

A neve chegará de novo ao Oeste?

Lourinhã, Janeiro de 2006

As previsões são favoráveis. À queda de neve, claro. Pessoalmente, ficou-me na memória o dia 29 de Janeiro de 2006, pois nunca tinha visto nevar ao vivo e a cores. E o espectáculo da paisagem branca foi soberbo. Quis a sorte que nesse dia tenha tido necessidade de me deslocar de carro até Torres Vedras e assim tive oportunidade de ver os primeiros flocos de neve a cair, até que, horas mais tarde pude contemplar as paisagens campestres com um manto branco que ninguém se lembra de ter visto por estes lados.

Hoje, o dia amanheceu com um manto de geada como nunca vi aqui na Lourinhã e até às 12horas, o meu carro mantinha ainda um montículo de gelo depois de eu ter raspado uma parte do tejadilho às 8h e depois de fazer cerca de 2km até à escola.

O Weather Stress Index (WSI) era, às 6h da manhã, dos mais elevados do país, isto é, atingiram-se valores de temperaturas muito baixas para o normal desta região, como mostra o mapa do Instituto de Meteorologia.

Neste mapa, as cores na gama do roxo indicam a ocorrência de valores anormalmente baixos da temperatura do ar, correspondendo a valores críticos do índice, pelo que a situação é, do ponto de vista do conforto fisiológico, muito adversa.

E amanhã? Tendo que sair de casa bem cedo e tendo que fazer uma viagem, espero ter a sorte de, até Lisboa, ver os campos e as serras cobertas de geada ou, quiçá, neve. Mas qb.

Imagem de www.wetter3.de

Adenda: São 00:20 e começou a chover. Umas gotas grossas mas de pouca duração. Aposto que esta noite ainda vai nevar por aqui.

Um país assimétrico também nos resultados dos exames

Chegou-me por email e não sei a data de publicação nem o jornal em que tal aconteceu, mas creio referir-se aos exames de 207/2008. Poderá este panorama servir como base para se avaliarem os professores, tout cour, pelos resultados dos exames sem qualquer tipo de ponderação?

Olimpíadas do Ambiente - Directório de Recursos na Internet

Está a decorrer a XIV edição das Olimpíadas do Ambiente, dirigidas a todas as escolas do ensino público, particular e cooperativo, do território nacional, incluindo Açores e Madeira.
Regulamento e informações aqui.

Da página web oficial das Olimpíadas, uma lista de websites sobre o ambiente, recomendados pela organização:

  • A Rocha - Associação Cristã de Estudo e Defesa do Ambiente (www.arocha.org )
  • Agência Americana para a Protecção Ambiental (www.epa.gov)
  • Agência Europeia de Ambiente (www.eea.europa.eu)
  • Agência Regional da Energia e Ambiente da Região Autónoma da Madeira (www.aream.pt)
  • Agenda 21 Local - Portugal - Criar comunidades sustentáveis (www.agenda21local.info)
  • Agenda 21 Local de S. João da Madeira (www.agenda21sjm.org)
  • Água Triangular - Associação Ambientalista Bacia Hidrográfica Vouga (www.aguatriangular.com)
  • Almargem - Associação de Defesa do Património Cultural e Ambiental do Algarve (www.almargem.org)
  • Alterações Climáticas - United Nations Environment Programme (climatechange.unep.net)
  • Alterações Climáticas BBC (www.bbc.co.uk/climate/)
  • Alterações Climáticas, Energia e Transportes - World Resources Institute (climate.wri.org)
  • Ambiente e Desenvolvimento (www.emagazine.com)
  • Amigos da Terra - Europa (www.foeeurope.org/)
  • Asociación para a Defensa Ecolóxica de Galiza - ADEGA (www.adegagaliza.org)
  • Associação Bandeira Azul da Europa (www.abae.pt)
  • Associação de Engenheiros de Ambiente (www.apea.pt)
  • Associação dos Amigos do Mindelo para a Defesa do Ambiente (www.amigosdomindelo.pt)
  • Associação Juvenil de Ambiente e Aventura (ondaverde.no.sapo.pt)
  • Associação Portuguesa de Agricultura Biológica (www.agrobio.pt)
  • Associação Portuguesa de Educação Ambiental (www.aspea.org)
  • Associação Portuguesa de Empresas de Tecnologias Ambientais (www.apemeta.pt)
  • Associação Portuguesa dos Recursos Hídricos (www.aprh.pt)
  • Beirambiente - Centro Profissional de Desenvolvimento Sustentável e Eco-Turismo (www.domdigital.pt/Beirambiente)
  • Bioneers - Collective Heritage Institute (www.bioneers.org)
  • British Trust for Ornithology - fundação de investigação ciêntifica (www.bto.org/)
  • CCDRA - Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (www.ccdr-a.gov.pt/)
  • CCDRC - Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (www.ccdrc.pt/ambiente)
  • CCDRN - Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (www.ccr-n.pt/)
  • Cegonha Associação de Defesa do Ambiente de Estarreja (www.ieeta.pt/~mos/cegonha/)
  • Center for a New American Dream (www.newdream.org)
  • Centro Clima - Informação sobre Alterações Climáticas (www.centroclima.org.br/)
  • Cinegética (www.cinegetica.com)Climate Action Network (www.climnet.org)
  • Comércio Justo (coresdoglobo.org/cg_p_comjust.htm)
  • Confederação Nacional de Cooperativas Agrícolas de Portugal (www.confagri.pt/Ambiente/)
  • Cooperativa de Produtos de Agricultura Biológica - BIOCOOP (www.biocoop.coop)
  • Costa Azul - Natureza e Ambiente (www.portugalvirtual.pt/_tourism/costadelisboa/costazul/natureza.html)
  • Departamento de assunto do ambiente, alimentação e rural de Defra (www.defra.gov.uk/)
  • Direcção Geral dos Recursos Florestais (www.dgrf.min-agricultura.pt)
  • Directório Ambiente e Natureza (dir.yahoo.com/Society_and_Culture/Environment_and_Nature)
  • Discovery Channel School (www.discovery.com)
  • Ecoclubes Internacional (www.ecoclubes.org/)
  • Enciclopédia sobre Aves (www.birdcare.com/birdon/encyclopedia/)
  • Engenharia e pavimentos com materiais reciclados (www.recipav.pt)
  • Environmental Defense - estilos de vida (www.environmentaldefense.org/)
  • Environmental Network (www.envirolink.org/)
  • Espaço lúdico e didáctico para jovens (www.canalkids.com.br/meioambiente/index.htm)
  • Estação Litoral da Aguda - ELA (www.fundacao-ela.pt/)
  • Euronatura - Centro para o Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentado (www.euronatura.pt/)
  • FAPAS - Fundo para a Protecção dos Animais Selvagens (www.fapas.pt)
  • Fontes de informação de ambiente (www.deb.uminho.pt/fontes/enviroinfo/ambiente/)
  • Fórum de Urbanismo - Pensar o futuro nas cidades (www.forumdourbanismo.info)
  • Futuro Sustentável - Plano Estratégico de Ambiente do Grande Porto (www.futurosustentavel.org)
  • GlobalWarming.org - Aquecimento global (www.globalwarming.org/)
  • Green Guerillas - Hortas Biológicas Urbanas (www.greenguerillas.org)
  • Greenpeace Internacional (www.greenpeace.org/)
  • Grupo de Estudos e Ordenamento do Território e Ambiente (www.geota.pt)
  • Grupo Lobo (lobo.fc.ul.pt/)
  • Hortas urbanas e espaços verdes em varandas e telhados (www.earthpledge.org)
  • Indústria de Reciclagem de Borracha (www.biosafe.pt)
  • Instituto da Água (www.inag.pt)
  • Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade (http://portal.icnb.pt/ICNPortal/vPT2007/)
  • Instituto de Meteorologia (www.meteo.pt/)
  • Instituto do Ambiente e Desenvolvimento (www.idad.ua.pt/)
  • Instituto do Mar (www.imar.pt)
  • Instituto Nacional de Engenharia e Tecnologia Industrial (www.ineti.pt)
  • International Institute for Sustainable Development - desenvolvimento Sustentável (www.iisd.org)
  • Le Réseau IDée - Educação Ambiental (www.reseau-idee.be/)
  • Liga Portuguesa dos Direitos dos Animais (www.lpda.pt)
  • LPN - Liga Para a Protecção da Natureza (www.lpn.pt)
  • Mapa ilustrar impacto das Alterações Climáticas (www.climatehotmap.org)
  • Medidas Preventivas de combate às Alterações Climáticas (www.climatetech.org/)
  • Ministério da Agricultura - Ambiente (www.min-agricultura.pt/)
  • Modos Alternativos de Transporte (www.iwalktoschool.org)
  • Movimento PROMindelo - Pela Reserva Ornitológica de Mindelo (www.amigosdomindelo.pt/rom/rom.htm)
  • National Geographic (www.nationalgeographic.com/)
  • National Wildlife Federation - Federação da Vida Selvagem Americana (www.nwf.org/wildlife/)
  • Natural Resources Defense Council - Organização Ecologista Americana (www.nrdc.org/)
  • Notícias sobre Ambiente (environment.about.com)
  • Observatório da Terra da NASA (earthobservatory.nasa.gov)
  • Oceanário de Lisboa (www.oceanario.pt)
  • Olho Vivo - Associação Para a Defesa do Património, Ambiente e Direitos Humanos (www.olho-vivo.org)
  • Parque Arqueológico do Vale do Côa (www.ipa.min-cultura.pt/coa/)
  • Parque Biológico de Vila Nova de Gaia (www.parquebiologico.pt)
  • Passeios de Bicicleta (www.ciclonatur.pt)
  • Passeios Rotas do Vento (www.rotasdovento.pt)
  • Plataforma Transgénicos Fora do Prato (www.stopogm.net)
  • Portal de Ambiente - NATURLINK (www.naturlink.pt)
  • Portal de Ambiente (www.ambienteonline.pt/)
  • Portal de Direito do Ambiente (www.ambiforum.online.pt)
  • Portal de Ensino das Ciências e de Cultura Científica (www.mocho.pt/Ciencias/ambiente/)
  • Portal sobre alterações climáticas e aquecimento global (www.climateark.org/)
  • Portal sobre energias renováveis (www.energiasrenovaveis.com/)
  • Programa Antídoto-Portugal (www.antidotoportugal.no.sapo.pt)
  • Projecto "Global Ideas Bank" da Institute for Social Inventions (www.globalideasbank.org)
  • Projecto de Triagem, Reciclagem e Reutilização de Lixo Eléctrico e Electrónico (www.2ndmarket.pt/)
  • Projecto Ecocasa da Quercus (www.ecocasa.org)
  • Projecto interactivo para alunos (www.angelfire.com/nj2/ozone1/)
  • Quercus (www.quercus.pt)
  • Rede de Eco-Aldeias (www.gaia.org/)
  • Ria de Aveiro (www.amria.pt)
  • Secção de Ambiente do jornal O Público (www.ecosfera.publico.pt)
  • Secretaria de Estado da Juventude (www.juventude.gov.pt)
  • Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais da Madeira (www.sra.pt/)
  • Secretariado Europeu do Ambiente (www.eeb.org/)
  • Sierra Club - Alterações climáticas (www.sierraclub.org)
  • Sociedade Ponto Verde (www.pontoverde.pt)
  • Sociedade Portuguesa de Energia Solar (www.spes.pt)
  • Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (www.spea.pt/)
  • The Nature Conservancy - Conservação da Natureza (www.nature.org/)
  • The World Conservation Monitoring Centre (www.unep-wcmc.org/)
  • Urbe - ONG de âmbito nacional para a defesa do ambiente urbano (www.urbe-nupi.pt/)
  • World Wild Fund (www.wwf.org)
  • Worldwatch Institute - Observatório da Terra (www.worldwatch.org/)
  • Zero Resíduos - Portugal - Promover uma sociedade sem resíduos (www.zeroresiduos.info)

8 de janeiro de 2009

Na sala de aula

'Dull' teaching blamed for bad behaviour

"Ofsted is to launch a crackdown on "boring" teaching in response to concerns that children's behaviour is deteriorating because they are not being stimulated enough in class.

Inspectors will be told to give more finely tuned advice to struggling schools on what is going wrong in their lessons and why pupils are not paying attention, the chief inspector of schools, Christine Gilbert, said.

She told the Guardian the changes in the inspections would amount to a "crackdown" on boring teaching. "I think that it should do that. When I was a [local authority] director of education I wanted to know if there was a link between boredom and achievement. We did a piece of work on it and there was strong evidence that a lot of it was boredom."

Teaching unions said the chief inspector was unfairly portraying the profession.

The inspectorate's latest annual report, published in November, warned of "pedestrian" teaching in primary schools, and said pupils in secondary schools were too often set tasks that are not demanding enough of them. "The result is their loss of interest, their slow progress and, often, deteriorating behaviour," it said. Some teachers fail to inspire pupils by relying on textbooks and endlessly preparing for tests, the document warns.

Gilbert said: "People divorce teaching from behaviour. I think they are really, really linked and I think students behave much better if the teaching is good, they are engaged in what they are doing and it's appropriate to them. Then they've not got lost five minutes into the lessons and therefore started mucking around. Behaviour in our schools is generally very good. But there's what I would describe as low-level disruption where children are bored and not motivated, so they start to use their abilities for other ends. That then can lead to other children being distracted in lessons and so on."

She said that a focus on improving schools through the introduction of better and stronger management and head teachers "isn't enough" to make every lesson good - schools should be improving the quality of teaching too. She said reforms to the inspection process would make a difference.

"One of the things that we've been concerned to do in the new inspection framework is to really emphasise the importance of teaching and learning. One of the things we really felt it was important to do is to give much clearer information about what schools should do.

"I read every special measures report every week. Every single one. Too often they say you've got to improve teaching and learning and literacy and numeracy. The school isn't left with enough information. There's been a dialogue in the school but often, particularly in special measures, they don't take it in at the time. I think we need to be much clearer in our recommendations of what schools need to do in terms of their teaching and learning."

The consultation on the new Ofsted inspection regime suggested that inspectors would spend more time in classrooms observing the quality of lessons.

Teachers' leaders reacted angrily to the comments. Chris Keates, the general secretary of the NASUWT teaching union, said: "The fact is that every chief inspector seems to get infected with a virus that makes them say schools are full of teachers who aren't good enough despite the fact that their own evidence shows the standards of teacher is good. With comments like that, the chief inspector fuels the view that every lesson of every day for every minute has got to be packed with excitement. Quite frankly life isn't like that and education isn't like that. Comments like this make teachers fair game for everyone, including pupils."

Margaret Morrissey, a former school inspector and founder of the parental campaigning group Parents Outloud, said: "There's always been the odd teacher who some children will find boring, but in life what turns off one child will turn on another. We'll never live in a utopia where every teacher fascinates every child."

John Bangs, the head of education at the National Union of Teachers, said: "The quality of teaching over the last 10-15 years is the best it's ever been. I wish she would present her findings in a way that reflects reality. It would be helpful if inspectors gave schools more information on how to improve - they need a two-way conversation about what's going on when they are put into special measures." A strong focus on teaching and learning in inspections would be welcomed, Bangs added."

Polly Curtis (The Guardian, 5 Janeiro 2009)

E ainda o Ministério da Educação não se lembrou desta..... Por cá, como já aqui referi anteriormente, as preocupações da Inspecção Geral da Educação estão ainda longe desta perspectiva. Porque a avaliação externa que é feita ainda não passa pela sala de aula e pelas metodologias. Tenho também sérias dúvidas sobre se o actual quadro de inspectores existente em Portugal tem condições para actuar a este nível, sobretudo de forma didáctica e construtiva. Além de que tal tarefa sairia bastante cara...

Forum " A geographer in Antártica"

Skidoo

Respostas da geógrafa Anna Barford ao Fórum "Uma geógrafa na Antárctida", que iniciei na disciplina "e-geografia" da plataforma Moodle da minha escola:

1 - As an extreme environment and very unfavorable to the species, what living things (plants or animals) can be observed there?

There are emperor penguins, adelie penguins, weddell seals, leopard seals, orka whales, skuas (seagulls). There are also some mosses and extremophile microbes that live here. On the volcano there are only mosses and microbes, it is too high for the other animals I think.

2 - When the team has to go, what kind of transportation you use?

We use helicopters to get here and leave the volcano. Helicopters also bring our supplies. From the main base, McMurdo we fly on a aeroplane, the plane lands on a glacier because that glacier is good flat place to land. Whilst we are living on the volcano we use skidoos to get about, and we walk. Skidoos are snow machines, a bit like motorbikes on skis. I have attached a photo of this.

3 - Which were the volcano gases that were detected by the team?

Volcanic fumes include: water vapour, carbon dioxide, carbon monoxide, sulphur dioxide, hydrogen chloride and hydrogen fluoride (in order of most to least by mass).

I hope these are helpful answers. I will try to answer other questions you send to me, but cannot guarantee an immediate reply (I don't want to disappoint anyone).

Thanks for your interest
Anna :)

Monserrat (Barcelona)

Agosto 2008
Foto: minha


Janeiro 2009
Foto: jornal SOL

Uma geógrafa em apuros

A notícia é dada pela revista VISÃO: a participação da nossa emérita condutora-geógrafa Elisabete Jacinto no Dakar 2009 terminou esta quarta-feira, na sequência de um acidente que levou a que o seu camião ardesse por completo. Felizmente que sem quaisquer ferimentos para a piloto portuguesa.

7 de janeiro de 2009

360º

Este Virtual Planet 360º está graficamente muito bom. Através deste recurso podemos ter acesso a vistas panorâmicas de várias cidades do mundo. Valença, Esposende, Braga e Vila Nova de Cerveira são as cidades portuguesas representadas. Para utilizar no estudo das paisagens ou, por exemplo, das áreas urbanas.



Mapa da Acessibilidade Mundial

"O mundo está a encolher. Voos baratos, a navegação comercial em grande escala e a expansão das redes rodoviárias, significam que estamos conectados com todo o mundo melhor do que nunca. Mas as viagens globais e o comércio internacional de mercadorias são apenas duas das forças que redesenharam o nosso mundo. Um novo mapa de tempo de viagem às grandes cidades - desenvolvido pela Comissão Europeia e do Banco Mundial - capta essa conectividade e a concentração da actividade económica, e também destaca que já existem poucas áreas selvagens. O mapa mostra como algumas partes do mundo se tornaram acessíveis, enquanto outras regiões têm permanecido isoladas.

Acessibilidade - para os mercados, escolas, hospitais ou água - é uma condição necessária para a satisfação de quase qualquer necessidade económica. Além disso, a acessibilidade é relevante a todos os níveis, desde o desenvolvimento local até ao comércio global. Este mapa preenche uma lacuna importante na nossa compreensão dos padrões espaciais da acessibilidade de carácter económico, físico e social."

Traduzido de European Comission GEM (Global Environment Monitoring)

Um obrigado ao Alan Parkinson pela sugestão deste Mapa da Acessibilidade Mundial. Elaborado pela União Europeia e pelo Banco Mundial, o Mapa da Acessibilidade Global representa a estimativa do tempo de viagem (em horas e em dias) para a cidade com mais de 50.000 habitantes mais próxima. Mesmo na hora para as aulas do 9º ano sobre os Transportes. Irei tentar obter autorização junto do responsável pelo mapa para publicar o mesmo, a cores, num dos próximos números da revista APOGEO.